Exercícios


ENEM  2011 - QUESTÕES RELACIONADAS À GEOGRAFIA

1. No mundo árabe, países governados há décadas por regimes políticos centralizadores contabilizam metade da população com menos de 30 anos; desses, 56% têm acesso à internet. Sentindo-se sem perspectivas de futuro e diante da estagnação da economia, esses jovens incubam vírus sedentos por modernidade e democracia. Em meados de dezembro, um tunisiano de 26 anos, vendedor de frutas, põe fogo no próprio corpo em protesto por trabalho, justiça e liberdade. Uma série de manifestações eclode na Tunísia e, como uma epidemia, o vírus libertário começa a se espalhar pelos países vizinhos, derrubando em seguida o presidente do Egito, Hosni Mubarak. Sites e redes sociais — como o Facebook e o Twitter — ajudaram a mobilizar manifestantes do norte da África a ilhas do Golfo Pérsico.

SEQUEIRA, C. D.; VILLAMÉA, L. A epidemia da Liberdade. IstoÉ Internacional. 2 mar. 2011 (adaptado).

Considerando os movimentos políticos mencionados no texto, o acesso à internet permitiu aos jovens árabes
A) reforçar a atuação dos regimes políticos existentes.
B) tomar conhecimento dos fatos sem se envolver.
C) manter o distanciamento necessário à sua segurança.
D) disseminar vírus capazes de destruir programas dos computadores.
E) difundir ideias revolucionárias que mobilizaram a população.

2. A Floresta Amazônica, com toda a sua imensidão, não vai estar aí para sempre. Foi preciso alcançar toda essa taxa de desmatamento de quase 20 mil quilômetros quadrados ao ano, na última década do século XX, para que uma pequena parcela de brasileiros se desse conta de que o maior patrimônio natural do país está sendo torrado.

AB’SABER, A. Amazônia: do discurso à práxis. São Paulo: EdUSP, 1996. Um processo econômico que tem contribuído na atualidade para acelerar o problema ambiental descrito é:

A) Expansão do Projeto Grande Carajás, com incentivos à chegada de novas empresas mineradoras.
B) Difusão do cultivo da soja com a implantação de monoculturas mecanizadas.
C) Construção da rodovia Transamazônica, com o objetivo de interligar a região Norte ao restante do país.
D) Criação de áreas extrativistas do látex das seringueiras para os chamados povos da floresta.
E) Ampliação do polo industrial da Zona Franca de Manaus, visando atrair empresas nacionais e estrangeiras.

3. O Centro-Oeste apresentou-se como extremamente receptivo aos novos fenômenos da urbanização, já que era praticamente virgem, não possuindo infraestrutura de monta, nem outros investimentos fixos vindos do passado. Pôde, assim, receber uma infraestrutura nova, totalmente a serviço de uma economia moderna.

SANTOS, M. A Urbanização Brasileira. São Paulo: EdUSP, 2005 (adaptado).

O texto trata da ocupação de uma parcela do território brasileiro. O processo econômico diretamente associa-
do a essa ocupação foi o avanço da

A) industrialização voltada para o setor de base.
B) economia da borracha no sul da Amazônia.
C) fronteira agropecuária que degradou parte do cerrado.
D) exploração mineral na Chapada dos Guimarães.
E) extrativismo na região pantaneira.

4.


TEIXEIRA, W. et al. Decifrando a Terra. São Paulo: Nacional, 2009 (adaptado).

O gráfico relaciona diversas variáveis ao processo de formação de solos. A interpretação dos dados mostra que a água é um dos importantes fatores de pedogênese, pois nas áreas

A) de clima temperado ocorrem alta pluviosidade e grande profundidade de solos.
B) tropicais ocorre menor pluviosidade, o que se relaciona com a menor profundidade das rochas inalteradas.
C) de latitudes em torno de 30o ocorrem as maiores profundidades de solo, visto que há maior umidade.
D) tropicais a profundidade do solo é menor, o que evidencia menor intemperismo químico da água sobre as
rochas.
E) de menor latitude ocorrem as maiores precipitações, assim como a maior profundidade dos solos.

5. Uma empresa norte-americana de bioenergia está expandindo suas operações para o Brasil para explorar o mercado de pinhão manso. Com sede na Califórnia, a empresa desenvolveu sementes híbridas de pinhão manso, oleaginosa utilizada hoje na produção de biodiesel e de querosene de aviação.

MAGOSSI, E. O Estado de São Paulo. 19 maio 2011 (adaptado).

A partir do texto, a melhoria agronômica das sementes de pinhão manso abre para o Brasil a oportunidade econômica de

A) ampliar as regiões produtoras pela adaptação do cultivo a diferentes condições climáticas.
B) beneficiar os pequenos produtores camponeses de óleo pela venda direta ao varejo.
C) abandonar a energia automotiva derivada do petróleo em favor de fontes alternativas.
D) baratear cultivos alimentares substituídos pelas culturas energéticas de valor econômico superior.
E) reduzir o impacto ambiental pela não emissão de gases do efeito estufa para a atmosfera.

6. Um dos principais objetivos de se dar continuidade às pesquisas em erosão dos solos é o de procurar resolver os problemas oriundos desse processo, que, em última análise, geram uma série de impactos ambientais. Além disso, para a adoção de técnicas de conservação dos solos, é preciso conhecer como a água executa seu trabalho de remoção, transporte e deposição de sedimentos. A erosão causa, quase sempre, uma série de problemas ambientais, em nível local ou até mesmo em grandes áreas.

GUERRA, A. J. T. Processos erosivos nas encostas. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007 (adaptado).

A preservação do solo, principalmente em áreas de encostas, pode ser uma solução para evitar catástrofes em função da intensidade de fluxo hídrico. A prática humana que segue no caminho contrário a essa solução é

A) a aração.
B) o terraceamento.
C) o pousio.
D) a drenagem.
E) o desmatamento.

7. O fenômeno de ilha de calor é o exemplo mais marcante da modificação das condições iniciais do clima pelo processo de urbanização, caracterizado pela modificação do solo e pelo calor antropogênico, o qual inclui todas as atividades humanas inerentes à sua vida na cidade.

BARBOSA, R. V. R. Áreas verdes e qualidade térmica em ambientes urbanos: estudo em microclimas em Maceió. São Paulo: EdUSP, 2005.


O texto exemplifica uma importante alteração socioambiental, comum aos centros urbanos. A maximização
desse fenômeno ocorre

A) pela reconstrução dos leitos originais dos cursos d’água antes canalizados.
B) pela recomposição de áreas verdes nas áreas centrais dos centros urbanos.
C) pelo uso de materiais com alta capacidade de reflexão no topo dos edifícios.
D) pelo processo de impermeabilização do solo nas áreas centrais das cidades.
E) pela construção de vias expressas e gerenciamento de tráfego terrestre.

8. O professor Paulo Saldiva pedala 6 km em 22 minutos de casa para o trabalho, todos os dias. Nunca foi atingido por um carro. Mesmo assim, é vítima diária do trânsito de São Paulo: a cada minuto sobre a bicicleta, seus pulmões são envenenados com 3,3 microgramas de poluição particulada — poeira, fumaça, fuligem, partículas de metal em suspensão, sulfatos, nitratos, carbono, compostos orgânicos e outras substâncias nocivas.

ESCOBAR, H. Sem Ar. O Estado de São Paulo. Ago. 2008.

A população de uma metrópole brasileira que vive nas mesmas condições socioambientais das do professor
citado no texto apresentará uma tendência de

A) ampliação da taxa de fecundidade.
B) diminuição da expectativa de vida.
C) elevação do crescimento vegetativo.
D) aumento na participação relativa de idosos.
E) redução na proporção de jovens na sociedade.

9.

A imagem retrata a araucária, árvore que faz parte de um importante bioma brasileiro que, no entanto, já foi bastante degradado pela ocupação humana. Uma das formas de intervenção humana relacionada à degradação desse bioma foi

A) o avanço do extrativismo de minerais metálicos voltados para a exportação na região Sudeste.
B) a contínua ocupação agrícola intensiva de grãos na região Centro-Oeste do Brasil.
C) o processo de desmatamento motivado pela expansão da atividade canavieira no Nordeste brasileiro.
D) o avanço da indústria de papel e celulose a partir da exploração da madeira, extraída principalmente no Sul
do Brasil.
E) o adensamento do processo de favelização sobre áreas da Serra do Mar na região Sudeste.

10.

SOBRADINHO

O homem chega, já desfaz a natureza
Tira gente, põe represa, diz que tudo vai mudar
O São Francisco lá pra cima da Bahia
Diz que dia menos dia vai subir bem devagar
E passo a passo vai cumprindo a profecia do beato que dizia que o Sertão ia alagar.

SÁ E GUARABYRA. Disco Pirão de peixe com pimenta. Som Livre, 1977 (adaptado).

O trecho da música faz referência a uma importante obra na região do rio São Francisco. Uma consequência socioespacial dessa construção foi

A) a migração forçada da população ribeirinha.
B) o rebaixamento do nível do lençol freático local.
C) a preservação da memória histórica da região.
D) a ampliação das áreas de clima árido.
E) a redução das áreas de agricultura irrigada.

11. Como os combustíveis energéticos, as tecnologias da informação são, hoje em dia, indispensáveis em todos os setores econômicos. Através delas, um maior número de produtores é capaz de inovar e a obsolescência de bens e serviços se acelera. Longe de estender a vida útil dos equipamentos e a sua capacidade de reparação, o ciclo de vida desses produtos diminui, resultando em maior necessidade de matéria-prima para a fabricação de novos.

GROSSARD, C. Le Monde Diplomatique Brasil. Ano 3, n36, 2010 (adaptado).

A postura consumista de nossa sociedade indica a crescente produção de lixo, principalmente nas áreas urbanas, o que, associado a modos incorretos de deposição,

A) provoca a contaminação do solo e do lençol freático, ocasionando assim graves problemas socioambientais, que se adensarão com a continuidade da cultura do consumo desenfreado.
B) produz efeitos perversos nos ecossistemas, que são sanados por cadeias de organismos decompositores que assumem o papel de eliminadores dos resíduos depositados em lixões.
C) multiplica o número de lixões a céu aberto, considerados atualmente a ferramenta capaz de resolver de forma simplificada e barata o problema de deposição de resíduos nas grandes cidades.
D) estimula o empreendedorismo social, visto que um grande número de pessoas, os catadores, têm livre acesso aos lixões, sendo assim incluídos na cadeia produtiva dos resíduos tecnológicos.
E) possibilita a ampliação da quantidade de rejeitos que podem ser destinados a associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis, financiados por instituições da sociedade civil ou pelo poder público.

12. Em 1872, Robert Angus Smith criou o termo “chuva ácida”, descrevendo precipitações ácidas em Manchester após a Revolução Industrial. Trata-se do acúmulo demasiado de dióxido de carbono e enxofre na atmosfera que, ao reagirem com compostos dessa camada, formam gotículas de chuva ácida e partículas de aerossóis. A chuva ácida não necessariamente ocorre no local poluidor, pois tais poluentes, ao serem lançados na atmosfera, são levados pelos ventos, podendo provocar a reação em regiões distantes. A água de forma pura apresenta pH 7, e, ao contatar agentes poluidores, reage modificando seu pH para 5,6 e até menos que isso, o que provoca reações, deixando consequências.

Disponível em: http://www.brasilescola.com. Acesso em: 18 maio 2010 (adaptado).

O texto aponta para um fenômeno atmosférico causador de graves problemas ao meio ambiente: a chuva ácida (pluviosidade com pH baixo). Esse fenômeno tem como consequência

A) a corrosão de metais, pinturas, monumentos históricos, destruição da cobertura vegetal e acidificação dos lagos.
B) a diminuição do aquecimento global, já que esse tipo de chuva retira poluentes da atmosfera.
C) a destruição da fauna e da flora, e redução dos recursos hídricos, com o assoreamento dos rios.
D) as enchentes, que atrapalham a vida do cidadão urbano, corroendo, em curto prazo, automóveis e fios de
cobre da rede elétrica.
E) a degradação da terra nas regiões semiáridas, localizadas, em sua maioria, no Nordeste do nosso país.

13.

A nova des-ordem geográfica mundial:
uma proposta de regionalização


Fonte: LÉVY et al. (1992), atualizado.

O espaço mundial sob a “nova des-ordem” é um emaranhado de zonas, redes e “aglomerados”, espaços hegemônicos e contra-hegemônicos que se cruzam de forma complexa na face da Terra. Fica clara, de saída, a polêmica que envolve uma nova regionalização mundial. Como regionalizar um espaço tão heterogêneo e, em parte, fluido, como é o espaço mundial contemporâneo?

HAESBAERT, R.; PORTO-GONÇALVES. C.W. A nova des-ordem mundial. São Paulo: UNESP, 2006.

O mapa procura representar a lógica espacial do mundo-contemporâneo pós-União Soviética, no contexto de avanço da globalização e do neoliberalismo, quando a divisão entre países socialistas e capitalistas se desfez e as categorias de “primeiro” e “terceiro” mundo perderam sua validade explicativa. Considerando esse objetivo interpretativo, tal distribuição espacial aponta para

A) a estagnação dos Estados com forte identidade cultural.
B) o alcance da racionalidade anticapitalista.
C) a influência das grandes potências econômicas.
D) a dissolução de blocos políticos regionais.
E) o alargamento da força econômica dos países islâmicos.

14. Estamos testemunhando o reverso da tendência histórica da assalariação do trabalho e socialização da produção, que foi característica predominante na era industrial. A nova organização social e econômica baseada nas tecnologias da informação visa à administração descentralizadora, ao trabalho individualizante e aos mercados personalizados. As novas tecnologias da informação possibilitam, ao mesmo tempo, a descentralização das tarefas e sua coordenação em uma rede interativa de comunicação em tempo real, seja entre continentes, seja entre os andares de um mesmo edifício.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2006 (adaptado).

No contexto descrito, as sociedades vivenciam mudanças constantes nas ferramentas de comunicação que afetam os processos produtivos nas empresas. Na esfera do trabalho, tais mudanças têm provocado

A) o aprofundamento dos vínculos dos operários com as linhas de montagem sob influência dos modelos orientais de gestão.
B) o aumento das formas de teletrabalho como solução de larga escala para o problema do desemprego crônico.
C) o avanço do trabalho flexível e da terceirização como respostas às demandas por inovação e com vistas à mobilidade dos investimentos.
D) a autonomização crescente das máquinas e computadores em substituição ao trabalho dos especialistas técnicos e gestores.
E) o fortalecimento do diálogo entre operários, gerentes, executivos e clientes com a garantia de harmonização das relações de trabalho.

15. Na década de 1990, os movimentos sociais camponeses e as ONGs tiveram destaque, ao lado de outros sujeitos coletivos. Na sociedade brasileira, a ação dos movimentos sociais vem construindo lentamente um conjunto de práticas democráticas no interior das escolas, das comunidades, dos grupos organizados e na interface da sociedade civil com o Estado. O diálogo, o confronto e o conflito tem sido os motores no processo de construção democrática.

SOUZA, M. A. Movimentos sociais no Brasil contemporâneo: participação e possibilidades das práticas democráticas. Disponível em: http//www.ces.uc.pt. Acesso em: 30 abr. 2010 (adaptado).

Segundo o texto, os movimentos sociais contribuem para o processo de construção democrática, porque

A) determinam o papel do Estado não transformações socioeconômicas.
B) aumentam o clima de tensão social na sociedade civil.
C) pressionam o Estado para o atendimento das demandas da sociedade.
D) privilegiam determinadas parcelas da sociedade em detrimento das demais.
E) propiciam a adoção de valores éticos pelos órgãos do Estado.

16. O acidente nuclear de Chernobyl revela brutalmente os limites dos poderes técnico-científicos da humanidade e as ”marchas-à-ré“ que a ”natureza“ nos pode reservar. É evidente que uma gestão mais coletiva se impõe para orientar as ciências e as técnicas em direção a finalidades mais humanas.

GUATTARI, F. As três ecologias. São Paulo: Papirus, 1995 (adaptado).

O texto trata do aparato técnico-científico e suas consequências para a humanidade, propondo que esse desenvolvimento

A) defina seus projetos a partir dos interesses coletivos.
B) guie-se por interesses econômicos, prescritos pela lógica do mercado.
C) priorize a evolução da tecnologia, se apropriando da natureza.
D) promova a separação entre natureza e sociedade tecnológica.
E) tenha gestão própria, com o objetivo de melhor apropriação da natureza.

17. A introdução de novas tecnologias desencadeou uma série de efeitos sociais que afetaram os trabalhadores e sua organização. O uso de novas tecnologias trouxe a diminuição do trabalho necessário que se traduz na economia líquida do tempo de trabalho, uma vez que, com a presença da automação microeletrônica, começou a ocorrer a diminuição dos coletivos operários e uma mudança na organização dos processos de trabalho.

Revista Eletrônica de Geografia Y Ciências Sociales. Universidad de Barcelona. N170(9). 1 ago. 2004.

A utilização de novas tecnologias tem causado inúmeras alterações no mundo do trabalho. Essas mudanças são observadas em um modelo de produção caracterizado

A) pelo uso intensivo do trabalho manual para desenvolver produtos autênticos e personalizados.
B) pelo ingresso tardio das mulheres no mercado de trabalho no setor industrial.
C) pela participação ativa das empresas e dos próprios trabalhadores no processo de qualificação laboral.
D) pelo aumento na oferta de vagas para trabalhadores especializados em funções repetitivas.
E) pela manutenção de estoques de larga escala em função da alta produtividade.

18. Subindo morros, margeando córregos ou penduradas em palafitas, as favelas fazem parte da paisagem de um terço dos municípios do país, abrigando mais de 10 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

MARTINS, A. R. A favela como um espaço da cidade. Disponível em: http://www.revistaescola.abril.com.br. Acesso em: 31 jul. 2010.

A situação das favelas no país reporta a graves problemas de desordenamento territorial. Nesse sentido, uma característica comum a esses espaços tem sido

A) o planejamento para a implantação de infraestruturas urbanas necessárias para atender as necessidades básicas dos moradores.
B) a organização de associações de moradores interessadas na melhoria do espaço urbano e financiadas pelo poder público.
C) a presença de ações referentes à educação ambiental com consequente preservação dos espaços naturais circundantes.
D) a ocupação de áreas de risco suscetíveis a enchentes ou desmoronamentos com consequentes perdas mate- riais e humanas.
E) o isolamento socioeconômico dos moradores ocupantes desses espaços com a resultante multiplicação de políticas que tentam reverter esse quadro.

19.

O açúcar e suas técnicas de produção foram levados à Europa pelos árabes no século VIII, durante a Idade Média, mas foi principalmente a partir das Cruzadas (séculos XI e XIII) que a sua procura foi aumentando.Nessa época passou a ser importado do Oriente Médio e produzido em pequena escala no sul da Itália, mas continuou a ser um produto de luxo, extremamente caro, chegando a figurar nos dotes de princesas casadoiras.

CAMPOS, R. Grandeza do Brasil no tempo de Antonil (1681-1716). São Paulo: Atual, 1996.

Considerando o conceito do Antigo Sistema Colonial, o açúcar foi o produto escolhido por Portugal para dar início à colonização brasileira, em virtude de

No Estado de São Paulo, a mecanização da colheita da cana-de-açúcar tem sido induzida também pela legislação ambiental, que proíbe a realização de queimadas em áreas próximas aos centros urbanos. Na região de Ribeirão Preto, principal polo sucroalcooleiro do país, a mecanização da colheita já é realizada em 516 mil dos 1,3 milhão de hectares cultivados com cana-de-açúcar.

BALSADI, O. et al. Transformações Tecnológicas e a força de trabalho na agricultura brasileira no período de 1990-2000. Revista de economia agrícola. V. 49 (1), 2002.

O texto aborda duas questões, uma ambiental e outra socioeconômica, que integram o processo de modernização da produção canavieira. Em torno da associação entre elas, uma mudança decorrente desse processo é a

A) perda de nutrientes do solo devido à utilização constante de máquinas.
B) eficiência e racionalidade no plantio com maior produtividade na colheita.
C) ampliação da oferta de empregos nesse tipo de ambiente produtivo.
D) menor compactação do solo pelo uso de maquinário agrícola de porte.
E) poluição do ar pelo consumo de combustíveis fósseis pelas máquinas.) o lucro obtido com o seu comércio ser muito vantajoso.

20. Os chineses não atrelam nenhuma condição para efetuar investimentos nos países africanos. Outro ponto interessante é a venda e compra de grandes somas de áreas, posteriormente cercadas. Por se tratar de países instáveis e com governos ainda não consolidados, teme-se que algumas nações da África tornem-se literalmente protetorados.

BRANCOLI, F. China e os novos investimentos na África: neocolonialismo ou mudanças na arquitetura global? Disponível em: http://opiniaoenoticia.com.br. Acesso em: 29 abr. 2010 (adaptado).

A presença econômica da China em vastas áreas do globo é uma realidade do século XXI. A partir do texto, como é possível caracterizar a relação econômica da China com o continente africano?

A) Pela presença de órgãos econômicos internacionais como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial, que restringem os investimentos chineses, uma vez que estes não se preocupam com a preservação do meio ambiente.
B) Pela ação de ONGs (Organizações Não Governamentais) que limitam os investimentos estatais chineses, uma vez que estes se mostram desinteressados em relação aos problemas sociais africanos.
C) Pela aliança com os capitais e investimentos diretos realizados pelos países ocidentais, promovendo o crescimento econômico de algumas regiões desse continente.
D) Pela presença cada vez maior de investimentos diretos, o que pode representar uma ameaça à soberania dos países africanos ou manipulação das ações destes governos em favor dos grandes projetos.
E) Pela presença de um número cada vez maior de diplomatas, o que pode levar à formação de um Mercado Comum Sino-Africano, ameaçando os interesses ocidentais.

21. A consolidação do regime democrático no Brasil contra os extremismos da esquerda e da direita exige ação enérgica e permanente no sentido do aprimoramento das instituições políticas e da realização de reformas corajosas no terreno econômico, financeiro e social.

Mensagem programática da União Democrática Nacional (UDN) — 1957.

Os trabalhadores deverão exigir a constituição de um governo nacionalista e democrático, com participação dos trabalhadores para a realização das seguintes medidas: a) Reforma bancária progressista; b)Reforma agrária que extinga o latifúndio; c) Regulamentação da Lei de Remessas de Lucros.

Manifesto do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) — 1962. BONAVIDES, P; AMARAL, R. Textos políticos da história do Brasil. Brasília: Senado Federal, 2002.

Nos anos 1960 eram comuns as disputas pelo significado de termos usados no debate político, como democracia e reforma. Se, para os setores aglutinados em torno da UDN, as reformas deveriam assegurar o livre mercado, para aqueles organizados no CGT, elas deveriam resultar em

A) fim da intervenção estatal na economia.
B) crescimento do setor de bens de consumo.
C) controle do desenvolvimento industrial.
D) atração de investimentos estrangeiros.
E) limitação da propriedade privada.

22.

Cadeia agroindustrial integrada ao supermercado


SILVA, E. S. O. Circuito espacial de produção e comercialização da produção familiar de tomate no município de São José de Ubá (RJ). In: RIBEIRO, M. A.; MARAFON, G. J. (orgs.). A metrópole e o interior fluminense: simetrias e assimetrias geográficas. Rio de Janeiro: Gramma, 2009 (adaptado).


O organograma apresenta os diversos atores que integram uma cadeia agroindustrial e a intensa relação entre os setores primário, secundário e terciário. Nesse sentido, a disposição dos atores na cadeia agroindustrial demonstra

A) a autonomia do setor primário.
B) a importância do setor financeiro.
C) o distanciamento entre campo e cidade.
D) a subordinação da indústria à agricultura.
E) a horizontalidade das relações produtivas.

23. As migrações transnacionais, intensificadas e generalizadas nas últimas décadas do século XX, expressam aspectos particularmente importantes da problemática racial, visto como dilema também mundial. Deslocam-se indivídu- os, famílias e coletividades para lugares próximos e distantes, envolvendo mudanças mais ou menos drásticas nas condições de vida e trabalho, em padrões e valores socioculturais. Deslocam-se para sociedades semelhantes ou radicalmente distintas, algumas vezes compreendendo culturas ou mesmo civilizações totalmente diversas.

IANNI, O. A era do globalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

A mobilidade populacional da segunda metade do século XX teve um papel importante na formação social e econômica de diversos estados nacionais. Uma razão para os movimentos migratórios nas últimas décadas e uma política migratória atual dos países desenvolvidos são

A) a busca de oportunidades de trabalho e o aumento de barreiras contra a imigração.
B) a necessidade de qualificação profissional e a abertura das fronteiras para os imigrantes.
C) o desenvolvimento de projetos de pesquisa e o acautelamento dos bens dos imigrantes.
D) a expansão da fronteira agrícola e a expulsão dos imigrantes qualificados.
E) a fuga decorrente de conflitos políticos e o fortalecimento de políticas sociais.

24. Os biocombustíveis de primeira geração são derivados da soja, milho e cana-de-açúcar e sua produção ocorre através da fermentação. Biocombustíveis derivados de material celulósico ou bicombustíveis de segunda geração — coloquialmente chamados de “gasolina de capim” — são aqueles produzidos a partir de resíduos de madeira (serragem, por exemplo), talos de milho, palha de trigo ou capim de crescimento rápido e se apresentam como uma alternativa para os problemas enfrentados pelos de primeira geração, já que as matérias-primas são baratas e abundantes.

DALE, B. E.; HUBER, G. W. Gasolina de capim e outros vegetais. Scientific American Brasil. Ago. 2009, n87 (adaptado).

O texto mostra um dos pontos de vista a respeito do uso dos biocombustíveis na atualidade, os quais

A) são matrizes energéticas com menor carga de poluição para o ambiente e podem propiciar a geração de novos empregos, entretanto, para serem oferecidos com baixo custo, a tecnologia da degradação da celulose nos biocombustíveis de segunda geração deve ser extremamente eficiente.
B) oferecem múltiplas dificuldades, pois a produção é de alto custo, sua implantação não gera empregos, e deve-se ter cuidado com o risco ambiental, pois eles oferecem os mesmos riscos que o uso de combustíveis fósseis.
C) sendo de segunda geração, são produzidos por uma tecnologia que acarreta problemas sociais, sobretudo decorrente do fato de a matéria-prima ser abundante e facilmente encontrada, o que impede a geração de novos empregos.
D) sendo de primeira e segunda geração, são produzidos por tecnologias que devem passar por uma avaliação criteriosa quanto ao uso, pois uma enfrenta o problema da falta de espaço para plantio da matéria-prima e a outra impede a geração de novas fontes de emprego.
E) podem acarretar sérios problemas econômicos e sociais, pois a substituição do uso de petróleo afeta negativamente toda uma cadeia produtiva na medida em que exclui diversas fontes de emprego nas refinarias, postos de gasolina e no transporte de petróleo e gasolina.

25. Segundo dados do Balanço Energético Nacional de 2008, do Ministério das Minas e Energia, a matriz energética brasileira é composta por hidrelétrica (80%), termelétrica (19,9%) e eólica (0,1%). Nas termelétricas, esse percentual é dividido conforme o combustível usado, sendo: gás natural (6,6%), biomassa (5,3%), derivados de petróleo (3,3%), energia nuclear (3,1%) e carvão mineral (1,6%). Com a geração de eletricidade da biomassa, pode-se considerar que ocorre uma compensação do carbono liberado na queima do material vegetal pela absorção desse elemento no crescimento das plantas. Entretanto, estudos indicam que as emissões de metano (CH4) das hidrelétricas podem ser comparáveis às emissões de CO2 das termelétricas.

MORET, A. S.; FERREIRA, I. A. As hidrelétricas do Rio Madeira e os impactos socioambientais da eletrificação no Brasil. Revista Ciência Hoje. V. 45, n265, 2009 (adaptado).

No Brasil, em termos do impacto das fontes de energia no crescimento do efeito estufa, quanto à emissão de gases, as hidrelétricas seriam consideradas como uma fonte.

A) limpa de energia, contribuindo para minimizar os efeitos deste fenômeno.
B) eficaz de energia, tomando-se o percentual de oferta e os benefícios verificados.
C) limpa de energia, não afetando ou alterando os níveis dos gases do efeito estufa.
D) poluidora, colaborando com níveis altos de gases de efeito estufa em função de seu potencial de oferta.
E) alternativa, tomando-se por referência a grande emissão de gases de efeito estufa das demais fontes geradoras.

26. Um dos processos usados no tratamento do lixo é a incineração, que apresenta vantagens e desvantagens. Em São Paulo, por exemplo, o lixo é queimado a altas temperaturas e parte da energia liberada é transformada em energia elétrica. No entanto, a incineração provoca a emissão de poluentes na atmosfera. Uma forma de minimizar a desvantagem da incineração, destacada no texto, é

A) aumentar o volume do lixo incinerado para aumentar a produção de energia elétrica.
B) fomentar o uso de filtros nas chaminés dos incineradores para diminuir a poluição do ar.
C) aumentar o volume do lixo para baratear os custos operacionais relacionados ao processo.
D) fomentar a coleta seletiva de lixo nas cidades para aumentar o volume de lixo incinerado.
E) diminuir a temperatura de incineração do lixo para produzir maior quantidade de energia elétrica.

27.


De acordo com o relatório “A grande sombra da pecuária” (Livestock‘s Long Shadow), feito pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação, o gado é responsável por cerca de 18% do aquecimento global, uma contribuição maior que a do setor de transportes.

Disponível em: www.conpet.gov.br. Acesso em: 22 jun. 2010.

A criação de gado em larga escala contribui para o aquecimento global por meio da emissão de

A) metano durante o processo de digestão.
B) óxido nitroso durante o processo de ruminação.
C) clorofluorcarbono durante o transporte de carne.
D) óxido nitroso durante o processo respiratório.
E) dióxido de enxofre durante o consumo de pastagens.

CONFLITOS ÉTNICO-NACIONALISTAS E SEPARATISMO


(UNIFENAS) Observe o mapa do continente africano a seguir:
Analise os fragmentos de texto para responder às alternativas abaixo
TEXTO I:
“A crise no país iniciou-se como uma consequência dos resultados eleitorais obtidos no segundo turno das eleições presidenciais, realizadas em 28 de novembro de 2010, que deram como vencedor o candidato da oposição, Alassane Ouattara, por uma margem estreita de votos. No entanto, a intervenção do Conselho Constitucional e a lealdade das forças armadas a Gbagbo permitiram-lhe manter-se no poder, apesar do parecer desfavorável e da pressão exercida pela comunidade internacional. Após meses de tentativa de negociação, a crise entrou numa fase decisiva, com a intensificação de confrontos entre as forças leais a Gbagbo e os grupos paramilitares favoráveis a Ouattara. Apoiado pelas tropas da ONU, Ouattara depôs do poder Gbagbo em abril de 2011. O país africano em questão é o maior produtor mundial de cacau e obtém também enorme destaque na produção de castanha de caju, além de ser um produtor cafeeiro.”
TEXTO II: “A Revolução de Jasmim, correspondeu a uma sucessão de manifestações insurrecionais ocorrida no país africano entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011 que levou à saída do presidente da República, Zine el-Abidine Ben Ali, que ocupava o cargo desde 1987. As manifestações começaram logo depois do suicídio de Mohamed Bouazizi, de 26 anos, vendedor ambulante de frutas e verduras, em Sidi Bouzid, quando o jovem ateou fogo no próprio corpo por não suportar mais pagar propinas às autoridades para obter licença para trabalhar na rua. Os protestos no país prosseguiram ao longo de janeiro de 2011, estimulados por um excessivo aumento dos preços dos alimentos básicos, que veio a aumentar a insatisfação popular diante do elevado desemprego, das más condições de vida da maior parte da população e da corrupção do governo. Quatro semanas de manifestações contínuas por todo o país, apesar da repressão, provocaram a fuga de Ben Ali para a Arábia Saudita em 14 de janeiro de 2011.”
(Fonte: Wikipédia. Com adaptação.Setembro/2011)
Buscando suporte no mapa e nos fragmentos acima, pode-se afirmar corretamente que os dados dos países contidos nos textos referente aos recentes conflitos na África podem ser identificados com os seguintes números no mapa do continente africano:
a) Texto I: Nigéria (país 2); Texto II: Marrocos (país 1).
b) Texto I: Argélia (país 3); Texto II: Costa do Marfim (país 2).
c) Texto I: Egito (país 4): Texto II: Turquia (país 5).
d) Texto I: Argélia (país 1); Texto II: Líbia (país 4).
e) Texto I: Costa do Marfim (país 6); Texto II: Tunísia (país 3).
(IFBA)
 “Os Estados Árabes se consideram em estado de guerra com Israel e, desde 1948, não cessam de proclamar sua vontade de lançar os israelitas no mar e de riscar seu Estado do mapa do Oriente próximo (...).”
FRIEDMANN, Georges. Fim do povo judeu? São Paulo: Perspectiva, 1969, p. 243.
Iniciado em 1848, o conflito palestino-israelense constituiu, no Oriente Médio, o que se convencionou chamar de Questão Palestina, que está longe de ser resolvida, ainda hoje, e pode ser relacionada à
a) exigência, pelos países do Oriente Médio, de cumprimento do Plano da ONU de Partição da Palestina, que criava o Estado Palestino no final da Segunda Guerra Mundial.
b) incapacidade dos países vencedores da Segunda Guerra de garantir a paz no Ocidente nos anos posteriores ao conflito, provocando uma fuga em massa de judeus para a Palestina.
c) construção de um padrão de instabilidade nas relações internacionais pelo recém-criado Estado de Israel, que contava com o apoio dos Estados Unidos, da União Soviética e da ONU.
d) recusa árabe à partilha da Palestina, imposta pela ONU, que submeteu a maior parte do território ao controle do recém-criado Estado de Israel, sem que se respeitasse a soberania dos povos desta região.
e) extinção oficial do mandato britânico sobre a Palestina, no final da Segunda Guerra, com reconhecimento imediato pelos países vencedores da independência de todos os países do Oriente Médio.
(UFRN) O Oriente Médio, foco de conflitos geopolíticos, nacionalistas e religiosos que geram preocupações em diferentes países, é considerado uma das principais áreas estratégicas do mundo
a) por ter o seu território banhado pelos oceanos Pacífico e Índico e por sua importância no mercado mundial, devido ao elevado consumo de carvão mineral.
b)  devido à sua localização próxima à China e à Índia e à sua importância econômica como principal produtora de carvão mineral em escala mundial.
c) devido à sua localização entre Ásia, Europa e África e à sua importância econômica como detentora das maiores reservas mundiais de petróleo em terra.
d) por ter o seu território banhado pelo Mar Mediterrâneo e Mar Vermelho e por sua importância no mercado mundial como principal consumidora de petróleo.
(FATEC) Analise a tira.

(QUINO. Toda a Mafalda. São Paulo: Martins Fontes, 1993.)
A justificativa apresentada por Mafalda, no terceiro quadro, deve ser atualmente considerada
a) incorreta porque, apesar das diferenças étnico-culturais existentes, a Ásia mantém-se sem conflitos desde o início do século XXI.
b) superada porque a Ásia entrou em um período de estabilidade devido ao processo de democratização em alguns de seus países.
c) ultrapassada porque o Extremo Oriente, que era uma região conflituosa, tem se mantido calmo devido à ascensão da China à
condição de emergente.
d) inexata, pois a Ásia deixou de apresentar turbulências políticas desde a década de 1970, quando a maioria dos seus países
tornou-se independente.
e) incompleta porque faltou acrescentar a África, onde algumas regiões passam por conflitos étnicos e sérias crises de fome.
(ESPM) Em 2011 completam-se vinte anos dos lamentáveis episódios da violenta Guerra dos Bálcãs que levou à dissolução da Iugoslávia. Com o auxílio do mapa abaixo, indique a assertiva correta:
a) A – a próspera Eslovênia foi a primeira das repúblicas a se separar da Iugoslávia e teve o imediato reconhecimen- to da União Europeia, bloco que ingressou posterior- mente.
b) B – Bósnia foi palco da mais sangrenta das guerras e envolveu bósnios muçulmanos, croatas ortodoxos e sérvios católicos.
c) C – a Croácia sempre alimentou forte rivalidade com os sérvios desde a Segunda Guerra Mundial, quando os croatas apoiaram a invasão nazista e puseram-se contra Tito.
d) D – Sérvia, apesar de não ter o controle político da ex- Iugoslávia, era a província mais rica, situação alcançada graças à condução do sérvio Joseph Broz Tito que canalizava os recursos para a república.
e) E – em Kossovo, a maioria cristã sempre alimentou o desejo separatista de juntar-se à Albânia, uma vez que os kossovares igualmente são, majoritariamente, albaneses.
(ESPM) Observe o texto e o mapa abaixo:
Sudão do sul, independente e vulnerável
No sábado 9, o mundo ganhou um novo país: o Sudão do Sul. A nação, maior que a Bahia, nasce carregando o título do Estado mais pobre do mundo, onde três dos estimados nove milhões de habitantes precisam de ajuda humanitária para se alimentar e 90% vivem com até 50 centavos de dólar por dia (cerca de 0,80 centavos de reais).
(Carta Capital disponível em http://www.cartacapital.com.br/internacional/ sudao-do-sul-independente-e-vulneravel. Acesso: 30/09/11)
Em relação à geografia do novo país, está correto afirmar:
a) Localizado na África Austral, as ricas jazidas de ferro e cobre apresentam-se como oportunidades futuras em melhores dias para amenizar o alto índice de miséria existente.
b) Localizado entre a África Oriental e Central, e de maioria cristã e animista em oposição ao norte islâmico, o Sudão do Sul vê no petróleo as melhores perspectivas futuras.
c) Localizado na África Ocidental, o novo país tem nas áreas de plantation a base da economia exportadora de gêneros tropicais, como cacau e açúcar.
d) O conflito étnico entre tutsis e hutus levou a um genocídio nesse novo país da África Oriental, cuja separação em duas partes pareceu ser a única solução possível.
e) O novo país de maioria islâmica localiza-se na África Setentrional e o clima mediterrâneo favorece o cultivo de videiras e oliveiras, os principais produtos de exportação.
(UNICAMP) Em discurso proferido em 20 de maio de 2011, o presidente dos EUA, Barack Obama, pronunciou-se sobre as negociações relativas ao conflito entre palestinos e israelenses, propondo o retorno à configuração territorial anterior à Guerra dos Seis Dias, ocorrida em 1967.
Sobre o contexto relacionado ao conflito mencionado é correto afirmar que:
a) A criação do Estado de Israel, em 1948, marcou o início de um período de instabilidade no Oriente Médio, pois significou o confisco dos territórios do Estado da Palestina que existia até então e desagradou o mundo árabe.
b) A Guerra dos Seis Dias insere-se no contexto de outras disputas entre árabes e israelenses, por causa das reservas de petróleo localizadas naquela região do Oriente Médio.
c) A Guerra dos Seis Dias significou a ampliação territorial de Israel, com a anexação de territórios, justificada pelos israelenses como medida preventiva para garantir sua segurança contra ações árabes.
d) O discurso de Obama representa a postura tradicional da diplomacia norte-americana, que defende a existência dos Estados de Israel e da Palestina, e diverge da diplomacia europeia, que condena a existência dos dois Estados.


VESTIBULAR 2011

(PUC-RIO)

CONTRA O VÉU ISLÂMICO — FRANÇA PROÍBE USO DA BURCA (14/10/2009)


CIGANOS EXPULSOS DA FRANÇA SERÃO 950 DENTRO DE UMA SEMANA (25/08/2010)


Fontes: Google.imagens.com.br e Vera Monteiro/Agências

A partir das imagens das reportagens selecionadas, responda o que se pede:

a) Explique o que é XENOFOBIA e como ela afeta a pluralidade cultural no espaço europeu.

b) Indique UMA CAUSA CULTURAL da proibição do uso do véu islâmico e UMA CAUSA ECONÔMICA da expulsão dosciganos pelo atual governo francês.

Resposta:

a) Entende-se por Fundamentalismo Islâmico a interpretação particular e literal da sharia(a lei do Corão), aplicada com fins políticos. Em oposição às ideias laicas, modernas e ocidentais, essa interpretação afirma que, a fim de formar um Estado islâmico puro, os valores da tradição e religião islâmica devem desempenhar um papel central na vida econômica, social e política dos povos. Vários movimentos fundamentalistas procuraram e ainda procuram lutar para obter e manter o controle do
Estado nos países com maioria da população de religião islâmica e ali aplicar seus princípios. A xenofobia no espaço europeu, que é laico em sua constituição social e política, é contraproducente já que não corresponde aos ideais de pluralidade e convivência aos quais as sociedades européias, notadamente as ocidentais, se basearam desde meados do século XX.
(Adaptado de www.klikeducação.com.br).

b) Dentre os interesses políticos do Estado francês contra o uso da burca naquele país, pode-se interpretar.

1) aumentar o controle do Estado francês sobre o terrorismo internacionaljá que terroristas podem se valer da ocultação da identidade de quem usa a burca para ampliar a sua rede de atentados;
2) ampliar a margem de aceitação do atual governo frente aos grupos ideológicos mais conservadores da sociedade francesa;
3) redimensionar a vida política e participação social das mulheres islâmicas na sociedade francesa, para que elas lutem por igualdade de direitos de gênero junto aos homens de sua comunidade próxima;
4) revalorizar os costumes ocidentais na população migrante com o objetivo de reforçar a condição de sociedade laica e liberal do franceses, sobre a qual o país construiu a sua identidade no mundo, desde
o século XVIII;
5) retirar a atenção da sociedade francesa dos principais problemas sociais e econômicos que afetam atualmente aquele país, redirecionando-o para problemas secundários.

Dentre os interesses econômicos do mesmo governo para expulsar os ciganos do país, pode-se argumentar:

1) reduzir os gastos sociais com migrantes ilegais em um Estado fortemente endividado, notadamente após a crise econômica iniciada em 2008;
2) diminuir o número de casos de violência no país (principalmente a ação dos narcotraficantes e grupos mafiosos do leste europeu), que vêm crescendo, assustadoramente, e que já afetam os investimentos econômicos na França e o turismo;
3) ampliar o acesso ao trabalho menos qualificado do francês de baixa renda afetado pela redução do emprego desde a crise de 2008 e que compete agora com os imigrantes pelo acesso aos postos de trabalho menos remunerados da economia francesa.

(FATEC) “Palavras de ordem, símbolos, propaganda, atos públicos, vandalismo e violência são, atualmente, manifestações de hostilidade frequentes contra estrangeiros na Europa. Os países onde mais intensamente têm ocorrido conflitos são Alemanha, França, Inglaterra, Bélgica e Suíça.”

(MOREIRA, Igor e AURICCHIO, Elizabeth. Construindo o espaço mundial. 3.ª ed. São Paulo: Ática, 2007, p. 37. Adaptado.)

Sobre o fenômeno social enfocado pelo texto, é válido afirmar que se trata de conflitos

a) civis e militares, relacionados às formas históricas de exploração dos países do chamado Terceiro Mundo.
b) ligados ao nacionalismo, ao racismo e à xenofobia, no contexto globalizado das grandes migrações internacionais.
c) entre imigrantes das diversas nacionalidades que invadem a Europa, atualmente, na disputa por empregos e por melhores condições de vida.
d) culturais, principalmente causados pelo conflito armado entre países católicos e protestantes, mas também, sobretudo, conflitos contra países islâmicos.
e) étnicos e sociais decorrentes das dificuldades de desenvolvimento de países europeus em continuar a sua industrialização nos setores tecnológicos de ponta.

(UENP) Analise as assertivas abaixo referentes à Caxemira.

I. A Caxemira é uma região disputada tanto pela Índia quanto pelo Paquistão, em virtude de localizaremse, nessa área, as nascentes dos rios Indo e Ganges, além de outras razões.
II. Índia e Paquistão travaram três guerras desde a independência da Inglaterra, em 1947. Duas delas foram por disputas da Caxemira.
III. A Índia controla 40% da Caxemira; o Paquistão, um terço; a China, o resto.
IV. Os muçulmanos são maioria na região e há 12 anos eles começaram a lutar pelo separatismo, num conflito que já matou mais de 33 mil pessoas. O Paquistão propõe um plebiscito para definir o futuro da
área. A Índia prefere a mediação internacional.

Estão corretas:

a) todas as assertivas
b) apenas I e II
c) apenas II e III
d) apenas III e IV
e) apenas I e IV

(UDESC) Leia a notícia abaixo.

“França proíbe o uso do véu islâmico em locais públicos – Projeto de lei veta traje que cobre todo o corpo e/ou deixa só olhos à mostra. A França está prestes a entrar para o grupo de países europeus que decidiu proibir o uso do véu islâmico em locais públicos. A Câmara Baixa francesa aprovou, com 335 votos a favor e um contra, o projeto de lei que proíbe o uso da burca (cobre todo o corpo e rosto) ou o niqab (deixa apenas os olhos à mostra). O texto foi aprovado na última segunda-feira pelos deputados da maioria conservadora da União por Movimento Popular (UMP), sem a presença dos socialistas, que já haviam alertado que não participariam da votação. O projeto segue para o voto no Senado em setembro, onde se espera que passe facilmente. A medida conta com o apoio da população francesa, segundo pesquisas divulgadas nas últimas semanas, mas atrai críticas do mundo muçulmano.”

(Disponível em: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/donna/19,206,2970825,Franca-proibe-o-uso-do-veu-islamico-em-locais-publicos.html)

Com base na notícia, analise as proposições abaixo.

I. Fica clara a influência da religião islâmica no Estado Francês, que se mostra preocupado em manter as especificidades da cultura religiosa islâmica.
II. A medida de proibição que conta com apoio da população francesa está relacionada à democracia e ao ideal republicanos que os franceses alimentam, construídos desde a Revolução Francesa, e que separou o Estado de quaisquer manifestações de religiosidade.
III. Os franceses são antiterroristas e, por isso, querem impedir o crescimento do islamismo naquele país, pois para os franceses um religioso islâmico é sempre um terrorista.
IV. Os franceses são contra o uso do véu em lugares públicos porque ele seria um símbolo da subserviência feminina.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente a afirmativa I é verdadeira.
b) Somente a afirmativa II é verdadeira.
c) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

(UFAC) “O grupo palestino Hamas disse que lutará até que Israel atenda suas exigências para um cessarfogo.”

BOWEN, Jeremy. Cessar-fogo não deve pôr fim à guerra na Faixa de Gaza. BBCBrasil.com. Disponível em:http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2009/01/09 0118_gazatregua_analise_fp.shtml.

O texto do site da BBCBrasil.com trata dos conflitos armados entre palestinos e o Estado de Israel, que teve seu início quando:

a) Na Declaração de Balfour, em que foi concedido apoio britânico para a criação de uma pátria judaica na Palestina.
b) A ONU, no ano de 1947, fez a divisão entre os territórios da Palestina e Israel. Ação que desencadeou um ataque da Liga Árabe ao Estado de Israel.
c) No movimento sionista, criado no séc. XIX, por Theodor Herzl, que tinha como propósito a formação de um estado judaico com reconhecimento internacional da Palestina.
d) Na assinatura dos Acordos de Camp David, pelos quais se estabelecia a concordância na negociação para a devolução do Sinai ao Egito e a autonomia restrita aos palestinos que habitavam Gaza.
e) Na Intifada e no Haganah.

(MACK)

Esse é o slogan de uma campanha realizada pela Organização Anistia Internacional. O mapa faz referência a conflitos mundiais do passado e do presente nas respectivas localidades.

Tomando como ponto de reflexão o mapa, considere as afirmações I, II, III e IV.

I. Nesse país, além dos conflitos raciais entre hutus e tutsis, há uma sangrenta disputa pelas riquezas minerais da região.
II. Área de disputas entre Índia e Paquistão, cuja rivalidade já provocou conflitos armados importantes, lembrando, o problema maior, de os dois países possuírem armas atômicas.
III. No nordeste da Espanha e sudoeste da França, encontramos um território ocupado por um povo, que, há mais de 40 anos, luta por sua autonomia política. No final da década de 1950, surgiu um grupo centrado nas táticas de guerrilha (ETA), visando à libertação da região por meio da luta armada.
IV. País de difícil topografia e adversidades de um clima desértico, fez com que as tropas soviéticas voltassem para casa depois de 10 anos de ocupação. Em 1995 a milícia islâmica fundamentalista Talibã conseguiu avançar, ocupando cerca de 70% do território em 1996 e 90% em 1998. Somente em 2002 os Talibãs foram destituídos por um governo de coalizão multiétnico.

Assinale a alternativa que identifica de forma correta os conflitos descritos.

a) I — Sudão, II — Sri Lanka, III — Bascos, IV — Irã
b) I — República Democrática do Congo, II — Caxemira, III — Bascos, IV — Afeganistão
c) I — Somália, II — Indonésia, III — Ulster, IV — Paquistão
d) I — Sudão, II — Laos, III — Bascos, IV — Iraque
e) I — República Democrática do Congo, II — Caxemira, III — Ulster, IV — Afeganistão

(UFT)  O número de refugiados em todo o mundo aos cuidados do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR/ONU) está em cerca de 10,4 milhões de pessoas, como apontam os últimos dados divulgados pelo ACNUR, em 2010. Abaixo estão listados os 10 (dez) principais países de refúgio e de origem dos refugiados, segundo o ACNUR:


Pelos dados apresentados no quadro acima, é CORRETO afirmar que

a) o continente americano teve o maior numero de países de refúgio entre os 10 (dez) principais apontados pelos dados do ACNUR em 2010, dada a estabilidade econômica e a existência de uma democracia consolidada.
b) o continente europeu, dada a estabilidade financeira e política, é a porção do globo que mais recebe refugiados, o que explica que países europeus estejam entre a maioria apontada entre os 10 (dez) principais países de refúgio do ACNUR.
c) a ausência de países da Oceania na lista dos 10 (dez) principais países de refúgio e de origem de refugiados implica em afirmar que este continente é uma área do globo ausente de conflitos e envolvimentos políticos com a população de refugiados.
d) os continentes asiático e africano são áreas do globo onde os conflitos étnicos, culturais, econômicos e políticos ocorrem com grande intensidade, o que faz com que concentrem o maior número de países de origem de refugiados.
e) os conflitos étnicos, políticos, religiosos e econômicos reorganizam a todo instante as fronteiras políticas entre os Estados-Nações tendo a distribuição da população de refugiados em todo o mundo influenciado diretamente nesse processo.

(UFT)

No mundo atual presenciamos conflitos étnicos, religiosos e povos sem um Estado-Nação definido, como no caso o povo curdo. A população curda chega a 26,3 milhões nos principais países onde esta população vive.
(TAMDJIAN,2005)
Com base na informação, é CORRETO afirmar que os curdos vivem principalmente:

a) Na faixa de gaza entre a Palestina e Israel em que os conflitos são frequentes mediante a disputa de territórios, o povo curdo sofre a violência e é excluso de direitos.
b) Na antiga Alemanha Oriental, com o fim da guerra fria os curdos ficaram sem pátria.
c) Nas Repúblicas Independentes da antiga União das Repúblicas Soviéticas como Lituânia, Estônia, Letônia, em que as disputas pelo território têm ocorrido com um grande número de genocídio.
d) Em países do Oriente Médio como Turquia, Síria, Irã, Iraque e Armênia em que os curdos não têm direitos políticos e são discriminados pelos governos.
e) Em países do Oriente Médio como Arábia Saudita, Iraque, Iêmen, Israel, Líbano e Jordânia em que o petróleo tem sido um dos fatores pela disputa do território em que os curdos ficaram exclusos e sem pátria.

(UPE) Populações inteiras são, às vezes, expulsas de seus territórios. Esses povos sem-território ficam acuados e privados de seus direitos de cidadania e passam a viver em condições extremamente precárias. Exemplifica esse fato a guerra entre as etnias hutu e tutsi, que provocou aproximadamente meio milhão de refugiados. Essa desterritorialização aconteceu na(no, em)

a) Croácia.
b) Eritreia.
c) Azerbaijão.
d) Afeganistão.
e) Ruanda

(UEPB) Observe a área destacada pelas hachuras no mapa ao lado. Ela representa uma região de
grande importância geopolítica pela sua localização na confluência entre Europa, Ásia e África; por ser o berço do judaísmo, do cristianismo e do islamismo e por ser detentora das maiores reservas de petróleo do mundo.


Esta conflituosa região é denominada de

a) Extremo Oriente.
b) Leste Europeu.
cOriente Médio.
d) Bálcãs.
e) Cáucaso.

(UNIFESP) As últimas duas décadas foram marcadas pela ocorrência de vários conflitos de caráter étnico, religioso e separatista. O atentado ao metrô de Moscou, em março de 2010, fez ressurgir o movimento separatista da Chechênia.

Sobre essa temática, responda.

a) Qual a localização geográfica da Chechênia?

b) Cite as principais causas desse conflito.

Resposta:

a) A Chechênia localiza-se na região do Cáucaso, entre os mares Negro e Cáspio. Fazia parte da União Soviética até o seu desmembramento, em 1991; a partir daquele ano passou a fazer parte da Federação Russa. Desde então lideranças locais têm lutado pela autonomia completa, declarando a independência da República Chechena da Ichkéria, unidade política até hoje não reconhecida por nenhum pais ou organi­zação supranacional.

b) O conflito recente da Chechênia ocorreu com a declaração de independência, não aceita pela Rússia, que procura manter sua hegemonia sobre a região. Alguns especialistas apontam que entre as causas do conflito está o fato de a Chechênia ter uma população majoritariâmente islâmica e de o governo russo temer que a constituição de um Estado fundamentalista religioso na região sirva de exemplo para outros movimentos separatistas, já que há no pais uma enorme diversidade étnica. Há ainda a preocupação com o controle dos oleodutos e gasodutos que cortam o território da Chechênia.

(UNESP)

No Oriente Médio, a água é um recurso precioso e uma fonte de conflito. A escassez de recursos hídricos está aumentando as tensões políticas entre países e dentro deles, e entre as comunidades e os interesses comerciais. A Guerra dos Seis Dias, em 1967, foi, em parte, a resposta de Israel à proposta da Jordânia de desviar o rio  Jordão para seu próprio uso. A terra tomada na guerra deu-lhe acesso não apenas às águas das cabeceiras do Jordão, como também o controle do aquífero que há por baixo da Cisjordânia, aumentando assim os recursos hídricos em quase 50%.
(Robin Clarke e Jannet King. O Atlas da Água, 2005. Adaptado.)

A partir da leitura do mapa e do texto, pode-se afirmar que a
água é uma questão importante nas negociações entre
a) o Iraque e os turcos.
b) os palestinos e a Síria.
c) o Líbano e a Síria.
d) os iranianos e o Iraque.
e) Israel e os palestinos.

(ESPM) O diálogo a seguir circunscreve-se à realidade política do mapa abaixo, cujo país deixou de existir:

“Foram os sérvios que fizeram isso, pai?” pergunta o garoto de 7 anos. A tensão aumenta, e é prontamente repreendido. “Não fale essa palavra aqui, em voz alta,” aconselha Milomir, visivelmente perturbado.

(Carta Capital, 11 de agosto de 2010.)



(Adaptado de Jayme Brener, 1993.)

A tensão retratada no texto refere-se à:

a) herança deixada pela hegemonia política croata, à época da existência da Iugoslávia e que hoje prossegue na Eslovênia.
b) convivência entre sérvios muçulmanos e bósnios cristãos na atual Bósnia-Herzegovina.
c) convivência entre bósnios-croatas e bósnios-muçulmanos no novo país erigido após a dissolução iugoslava e hoje formado por duas entidades na Bósnia Herzegovina.
d) realidade na atual Sérvia-Montenegro, formada por dois povos rivais, os cristãos ortodoxos e os bósnios muçulmanos.
e) nova realidade vivida no Kossovo, o mais jovem país do mundo, onde convivem duas nações distintas e inimigas, os croatas cristãos e os albaneses muçulmanos.


(UFF)

ESTADOS DOS BÁLCÃS EM 1949 E EM 2008
DURAND, M.F. et aliiAtlas da mundialização. São Paulo:Saraiva, p.75.

Dois fatores fundamentais responsáveis pelas mudanças territoriais, registradas nos mapas, encontram-se em:
aemergência de nacionalismos e fortalecimento de diferenças culturais
b) controle externo de arsenais nucleares e diversidade étnico-linguística
c) perseguições religiosas e interesses do capital especulativo
d) radicalismos político-ideológicos e desagregação da União Europeia
e) controle da produção de gás e reação à presença militar estrangeira

(FUVEST)

África vive (...) prisioneira de um passado inventado por outros.
Mia Couto, Um retrato sem moldura, in Leila Hernandez, A África na sala de aula. São Paulo: Selo Negro, p.11, 2005.

A frase acima se justifica porque
a) os movimentos de independência na África foram patrocinados pelos países imperialistas, com o objetivo de garantir a exploração econômica do continente.
b) os distintos povos da África preferem negar suas origens étnicas e culturais, pois não há espaço, no mundo de hoje, para a defesa da identidade cultural africana.
c) a colonização britânica do litoral atlântico da África provocou a definitiva associação do continente à escravidão e sua submissão aos projetos de hegemonia europeia no Ocidente.
d) os atuais conflitos dentro do continente são comandados por potências estrangeiras, interessadas em dividir a África para explorar mais facilmente suas riquezas.
e) a maioria das divisões políticas da África definidas pelos colonizadores se manteve, em linhas gerais, mesmo após os movimentos de independência.

(ESPM)

Se a origem da população cigana é alvo de debates acadêmicos, a realidade é que o grupo representa entre 10 milhões e 12 milhões de pessoas na União Europeia.
Para a ONU, a comunidade cigana é atualmente o maior desafio enfrentado pela União Europeia em termos de garantia de direitos humanos entre seus próprios cidadãos. A ONU chama a atenção para as medidas de “cunho racista”, alertando que a decisão pode provocar um surto de xenofobia.

(O Estado de São Paulo – 19/08/2010)

O texto se refere à decisão de um governo europeu de expulsar de seu território 700 ciganos, em apenas 10 dias. Assinale a alternativa que aponte corretamente o país e o governo responsável por tal decisão, bem como a justificativa apresentada:

a) A França, do presidente Nicolas Sarkozy, que alega que os ciganos vivem de forma irregular e constituem ameaça à segurança;
b) A Itália, do primeiro-ministro Silvio Berlusconi, que apoiado por partidos políticos de origem fascista, pratica uma política xenófoba;
c) A Inglaterra, do primeiro-ministro conservador David Cameron, em nome da política de segurança e combate ao terrorismo;
d) A Espanha, do primeiro-ministro Zapatero, em nome do combate à imigração ilegal;
e) A Alemanha, do governo de Angela Merkel, sob a alegação de proteger o mercado de trabalho para os alemães.

VESTIBULAR 2010

(FGV) Observe a foto abaixo.


Mulheres árabes caminham em frente a um painel com a foto do presidente dos EUA, Barack Obama, usando o tradicional lenço palestino, em Jerusalém.
Reprodução de foto de Menahem Kahana/AFP, em “Imagens do Dia”, no BOL Fotos / 14 de junho de 2009 in:http://images.google.com.br/images?hl=ptR&um=1&q=de+Menahem+Kahana+fotos&sa=N&start=20&ndsp=20


A foto acima foi divulgada pela imprensa internacional durante a última eleição geral realizada em Israel. No painel, como se pode observar, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aparece vestindo um tradicional lenço palestino.
Dentre as afirmativas abaixo, assinale a que melhor traduz a mensagem presente na imagem.

a) É uma manifestação positiva da comunidade árabe de Jerusalém, que acredita na possibilidade de o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, contribuir para colocar um fim nos conflitos do Oriente Médio.
b) Trata-se de propaganda elaborada pelos partidos árabes durante as eleições israelenses. Esses partidos defendem que a intervenção de Barack Obama - que possui Hussein no nome - pode contribuir para restabelecer o diálogo entre palestinos e israelenses.
c) Representa uma propaganda da extrema--direita judaica em Israel, que protesta apresentando o presidente norte-americano com o lenço tradicional palestino, para denunciar sua posição pró-árabe, em defesa da criação de um Estado Palestino.
d) Refere-se a uma homenagem prestada pela comunidade judaica de Jerusalém, sobretudo pelos partidos da esquerda israelense, que, ao chamar o presidente dos EUA de Barack Hussein Obama, pretendem destacar sua posição favorável à maior integração entre árabes e judeus.
e) Retrata o presidente dos EUA, Barack Obama, como militante da causa árabe, identificado por essa razão como antissemita e aliado do primeiro ministro de Israel, Binyamin Netanyahu.

(UNESP) Cerca de 90% da população do Oriente Médio é muçulmana.O Islã, no entanto, está longe de ser uma fé monolítica. (...)Ainda que não disponhamos de estatísticas confiáveis, um cálculo crível aponta que 65% dos muçulmanos do Oriente Médio são sunitas e uns 30%, xiitas.

(Dan Smith. O Atlas do Oriente Médio. São Paulo: Publifolha, 2008.)




Em relação aos conflitos religiosos do Oriente Médio, é possível afirmar que

a) a disputa religiosa entre judeus e muçulmanos nunca atrapalhou o amplo intercâmbio comercial na região.
b) os muçulmanos se mantêm politicamente unidos e xiitas e sunitas jamais se opuseram ou se enfrentaram.
c) islamismo, judaísmo e cristianismo nasceram na região, mas só os muçulmanos conservaram seus lugares santos.
d) os judeus reivindicam o controle territorial completo do Oriente Médio, pois são maioria em todos os países da região.
e) a maior população muçulmana não impediu a formação de um Estado judeu, nem proporcionou a criação de um Estado palestino.

(FEI) Os dois países possuem arsenal nuclear e travam uma disputa histórica por um território que é reivindicado por ambos. A falta de disposição para o diálogo e a recusa dos dois países em assinar o
Tratado de não Proliferação Nuclear (TNP) leva à preocupação da comunidade internacional. Os países que são palco desta disputa são:

a) Israel e Irã.
b) Coréia de Sul e Coréia do Norte.
c) Índia e Paquistão.
d) Síria e Israel.
e) Quirziquistão e Turcomenistão.

(UERJ)

Quinze anos depois do genocídio que vitimou mais de 800 mil pessoas, visitar Ruanda ainda é uma espécie de jogo de adivinhação – a cada rosto que passa tenta-se descobrir quem foi vítima e quem foi algoz na tragédia de 1994. O governo do país recorre à união do povo. O censo e as carteiras de identidade étnicas não existem mais, todos agora são apenas considerados ruandeses. O esforço do presidente Paul Kagame em evitar um novo conflito é tão grande que chamar alguém de “tutsi” ou “hutu” de maneira ofensiva é crime, com pena que pode chegar a 14 anos.

Marta Reis

A presença do trauma do genocídio é o principal problema social de Ruanda, maior inclusive que a pobreza. Tratar esse trauma coletivo devia ser prioridade número um, e não transformá-lo num tabu. A política do governo é a do esquecimento por lei, por obrigação. Errada é a vitimização do genocídio,  pois existe uma história de conflitos anterior e posterior ao massacre.

Marcio Gagçiato
Adaptado de O Globo, 12/04/2009

(UERJ) A polêmica sobre os efeitos do genocídio de Ruanda, ocorrido em 1994, aponta para contradições dos processos de constituição de Estados nacionais na África contemporânea. Com base na análise dos textos, a resolução dessas contradições estaria relacionada à adoção das seguintes medidas:

a) conciliação político-religiosa – afirmação das identidades locais
b) punição das diferenças culturais – unificação da memória nacional
c) denúncia da dominação colonial – integração ao mundo globalizado
d) reforço do pertencimento nacional – revisão das heranças da descolonização

(MACK) Em 2003, o governo russo convocou um plebiscito para definir o futuro político da Chechênia. A grande maioria dos votantes apoiou a permanência da Chechênia no interior da Federação Russa. Esse resultado foi entendido pelo governo russo como apoio explícito dos chechenos às propostas de Moscou, que tem interesses para manter esse território sob seu controle.

A respeito desses interesses, analise as afirmativas I, II, III e IV, abaixo.

I. Interesse ambiental, pelo território em que se encontra, às margens do Mar de Aral, fonte de recurso hídrico para o abastecimento de água potável à população urbana de Moscou.
II. Interesse econômico, por ser esse território cortado por dutos, levando o petróleo extraído na Bacia do Cáspio para os portos russos do Mar Negro.
III. Interesse geopolítico, pois uma Chechênia independente estimularia outras repúblicas autônomas da Federação Russa a tentar seguir o mesmo caminho.
IV. Interesse cultural-religioso, pois uma Chechênia livre promoveria o recrudescimento do fundamentalismo islâmico na região, levando grupos de fanáticos a se expandirem por outras áreas autônomas da Rússia asiática.

Estão corretas

a) I e II, apenas.
b) II e III, apenas.
c) I, III e IV, apenas.
d) III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

(UFG) Há cinco décadas, a China enfrenta protestos que fazem parte da luta pela independência do Tibete. Essa região, ilustrada a seguir, tem forte importância geoestratégica e uma marcante influência dos monges budistas. Baseando-se nestas informações, explique um fator geopolítico, condicionado por questões naturais, que torna essa região importante estrategicamente para o Estado chinês.

<www.historianet.com.br>. (Adaptado).


Resolução:

A rica hidrografia da região, sendo nascente dos principais rios que abastecem a China (o Huang-Ho, Mekong e Yang Tsé) Por ser uma região de fronteira com países litigiosos (Índia, Nepal), o Planalto Tibetano, onde se situa a maior cordilheira montanhosa do mundo, o Himalaia (e nela o Monte Everest), assume uma importante posição estratégica.

(UFBA)


Com base nas ilustrações, nos mapas e nos conhecimentos sobre conflitos, nacionalismo e internacionalismo, pode-se concluir:

(01) Em I, a maior potência do mundo, ao declarar — através do seu ex-presidente George W. Bush —
guerra ao terror, apresentava alvos determinados e estabelecia regras bem definidas, respeitando o direito internacional.
(02) Em II, o governo de direita, que dirige o país desde o início deste século, é grande aliado dos
Estados Unidos e afirma conduzir uma revolução no país, favorecendo à classe empresarial.
(04) III representa a área atacada militarmente por Israel ao final de 2008, território libanês no litoral do mar Mediterrâneo, numa reação aos frequentes ataques de grupos Fatah, apoiados por seu principal aliado, o Hamas.
(08) Em IV, os conflitos já duram três décadas, envolvendo grupos étnicos e inúmeros clãs que lutaram contra os soviéticos em defesa de seus territórios, sendo que, atualmente, os Estados Unidos e seus aliados da Otan encontram-se nesse país visando conter os ataques do Taliban.
(16) Em V, a incessante luta ideológica entre muçulmanos e hindus — que, no final de 2008, alvejou
Mumbai — é um dos conflitos que envolvem seu território, além da conturbada relação com os países vizinhos.
(32) Em VI, o uso estratégico das riquezas minerais permite à República Democrática do Congo acabar com os conflitos, reconstruir seu território e, consequentemente, ter mais poder de decisão em questões geopolíticas.

Resposta: 24 (08+16)

VESTIBULAR 2009

(PUCMG) A Guerra entre Rússia e Geórgia implica uma reflexão sobre nacionalismo e globalização. Sobre a construção do sentimento nacional no mundo globalizado, marque a única afirmativa CORRETA.

a) A "implosão" do império soviético nos anos 1990 coincide com o surgimento de uma nova geração de nações diferentes daquelas formadas ao longo das lutas anticoloniais. O sistema capitalista global caracteriza o mundo numa movimentação de unificação em torno das grandes potências.
b) O nacionalismo vem sendo esvaziado do seu sentimento de autonomia com a lembrança, de forma constante, de que o mundo se tornou menor e mais integrado, onde vínculos estreitos são forjados entre as economias e as sociedades, Estados e nações numa "comunidade internacional".
c) A profecia da "aldeia global" de Mc Luhan vem sendo confirmada pela generalização dos meios de transporte de massa e de comunicação eletrônica. Certos símbolos, como o da Coca-cola, tornaram-se universais, invertendo o nacionalismo por universalismo com a ideia de que todos somos um.
d) O desafio contemporâneo é marcado pelo paradoxo da tendência à globalização e à superação desta, criando laços estreitos das nações do mundo entre si por um lado, e, simultaneamente, pelos conflitos que se assentam sobre as identidades políticas e à fragmentação étnica por outro.

(UEPB)

“Tropas da República da Geórgia e da Rússia iniciaram nesta sexta (08/08/2008) um conflito armado, numa disputa pela Ossétia do Sul. A região vive em conflito desde o fim da antiga União Soviética, em 1991. A Ossétia do Sul pertence à Geórgia, mas tem um governo autônomo e luta pela independência com o apoio da Rússia”.

Disponível in: http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL717429-10406,00-GEORGIA+E+RUSSIA+INICIAM+CONFLITO+ARMADO.html Acesso em 08/08/2008.

O conflito que inquieta as grandes potências e atraiu a atenção mundial em pleno período das Olimpíadas 2008 explica-se a partir
ada emergência das tensões étnico-nacionalistas que se mantiveram submersas diante do conflito Leste-Oeste, mas que proliferaram em todo o mundo com o fim da guerra fria e da bipolaridade.
b) da emergência do novo terrorismo global, que se mune de todo arsenal financeiro e tecnológico além de contar com a ajuda de Estados-Nacionais que dão apoio militar a grupos terroristas.
c) da internacionalização das guerrilhas que se beneficiam do desenvolvimento dos meios de comunicação e têm no narcotráfico a principal fonte de financiamento para combater Estados-Nacionais constituídos.
d) do ranço da guerra fria, no qual Estados Unidos e Rússia tomam partidos opostos e não só apóiam, mas até estimulam alguns conflitos com a finalidade de desenvolverem suas indústrias bélicas com a venda de armamentos.
e) do surgimento do mais novo tipo de tensão mundial, que é tipicamente cultural, no qual algumas etnias se opõem ao avanço da globalização e lutam para preservar sua identidade, religião e costumes.

(UNIFESP) Observe o mapa.


(Simielli, 2007. Adaptado.)

Conflitos políticos, de matriz religiosa, geram contestações fronteiriças entre os países I e II, que são, respectivamente,
a) Paquistão e Índia.
b) China e Índia.
c) Afeganistão e Paquistão.
d) Bangladesh e China.
e) Bangladesh e Afeganistão.

VESTIBULAR 2008


(CÁSPER LÍBERO) A Folha Online publicou, em 10/7/2007, a seguinte notícia:

O premiê italiano Romano Prodi pediu nesta terça-feira mais apoio da comunidade internacional para o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas. O pedido veio após uma reunião entre os dois líderes
em Ramallah, na Cisjordânia. Para Prodi, apenas a ajuda humanitária não é suficiente para dar “esperança aos palestinos”. “Este é o momento de dar esperança aos palestinos”, afirmou o premiê em uma entrevista coletiva após sua reunião em Ramallah. Ele disse também que seu governo buscará novas vias de apoio ao presidente da ANP. A reunião, de cerca de uma hora e meia, tratou da situação dos territórios palestinos (...)
Devido à nova dimensão que os conflitos nos territórios palestinos adquiriram no ano de 2007 (situação muito próxima à de uma guerra civil), identifique as afirmações corretas sobre a atual situação vivida na Palestina.
I. O governo palestino até os atuais conflitos era exercido por uma coalização entre o Hamas e o Fatah.
II. O Fatah quer um governo islâmico para a palestina e sofre a oposição do Hezbollah.
III. O presidente da ANP, Mahmoud Abbas, é membro do Fatah.
IV. A Autoridade Nacional Palestina inclui Cisjordânia, Faixa de Gaza e os territórios do sul do Líbano.
V. Israel não quer que os territórios do sul do Líbano fiquem com os palestinos e isso desencadeou uma guerra civil entre o Fatah e o Hamas.

Estão corretas:

a) I e V.
b) I e III.
c) III e V.
d) II e V.
e) III e IV.

(UNEAL) A Caxemira é um dos focos de conflito na atualidade. Ela é o pivô de uma disputa entre os seguintes países:

a) China e Índia.
b) Paquistão e China.
c) Paquistão e Índia.
d) Índia, Paquistão e Afeganistão.
e) China, Índia e Paquistão.

(UNIPAM) Segundo o historiador britânico, Eric Hobsbawm, o “breve século XX” encerrou-se com a fragmentação do império soviético e com o conseqüente fracasso da referência sócio-ideológica do
Socialismo Real. No entanto, é possível, perante a fragilidade das instituições multilaterais, observar a continuidade de manifestações étnicas, religiosas e nacional-territoriais. O fim de uma Era não possibilitou a descontinuidade de ocorrências violentas em áreas de conflitos.

Sobre os principais focos de conflitos na atualidade, é INCORRETO afirmar:

a) A expressão nacional emancipacionista, liderada pelo P.K.K. (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), reflete os princípios da causa curda e coloca em xeque as diretrizes da Doutrina Bush, em relação à estabilização político-institucional no Iraque.
b) A Província Autônoma da Chechênia, localizada na região montanhosa do Cáucaso russo, próxima
ao mar Cáspio, é um dos principais focos de tensão separatista, em razão das diferenças de  identidades nacionais entre russos e chechenos, além da importância energética da região.
c) A vitória parlamentar do Hamas, nas eleições palestinas de 2006, significou o fim do sectarismo político-religioso em relação ao Fatah e uma possibilidade maior para a formação definitiva do Estado Palestino.
d) A guerrilha muçulmana, na Caxemira Indiana, luta pela independência em relação à Índia e recebe o apoio do governo do Paquistão. Esse envolvimento desestabiliza a região em razão da potencialidade bélica nuclear dos respectivos países.

(ESPM) Leia a matéria:

Os confrontos, que já duram vários dias, são o mais recente episódio de violência em um país marcado por diferenças religiosas e étnicas e por uma história de conflitos sangrentos. Outro episódio recente foi o conflito militar entre Israel e o grupo militante Hezbollah, em julho de 2006, que uniu a população durante os mais de trinta dias de bombardeio contra o país, mas parece ter agravado muito as tensões internas ...

(www.bbc.com.uk - acesso: 25/08/07)

Indique o país e a justificativa correta em relação ao texto:

a) Iraque, país que concentra hoje vários grupos terroristas.
b) Síria, país que dá suporte logístico ao Hezbollah e que combateu Israel durante a invasão ao sul do país em 2006.
c) Afeganistão, que após ter destituído o regime Taleban, resistiu aos ataques do Hezbollah em 2006.
d) Irã, dividido internamente entre xiitas e sunitas e inimigo histórico de Israel.
e) Líbano, país que apresenta uma constituição confessional devido ao emaranhado religioso.

(UFPI-específica) Após o término da bipolaridade, que caracterizou o período da Guerra Fria, os conflitos armados:

1 ( ) Diminuíram, devido ao surgimento de outros pólos de poder no mundo.
2 ( ) Diminuíram, como conseqüência da derrota do socialismo soviético.
3 ( ) Aumentaram, devido à retomada de antigas diferenças étnicas e religiosas entre os povos envolvidos.
4 ( ) Aumentaram, em função do crescimento populacional de países envolvidos nos conflitos.

Resposta: FFVF

(UFES) Atenção! Analise as informações constantes no gráfico abaixo para responder a questão.


(Fonte: FOUCHER, M. Israel-Palestine: quelles frontières? In: Hérodote: Revue de géographie et de géopolitique. Paris, n. 29/30, p. 101, 1983. Adaptado.)

As nascentes do rio Jordão se localizam no encontro de fronteiras entre Israel, Síria e Líbano. O Jordão flui em direção ao sul, passando pelo lago Tiberíades e desaguando no Mar Morto. Em relação aos recursos hídricos dessa região, é INCORRETO afirmar que

a) o projeto hídrico de Israel e a oposição da Síria a esse projeto foi um dos motivos da Guerra dos Seis Dias.
b) as nascentes do Jordão situam-se nas Colinas de Golã, que foram ocupadas por Israel durante a Guerra dos Seis Dias, perdurando essa ocupação até hoje.
c) uma parcela maior dos recursos hídricos do rio Jordão era reivindicada pelo Estado Palestino e pela Jordânia.
d) o aqüífero pouco volumoso da planície costeira ocidental do território israelense contrasta com o volumoso lençol subterrâneo do platô central, situado no território da Cisjordânia.
e) as águas do rio Jordão, no trecho em que ele corta o norte da península do Sinai, foram objeto de disputa entre Israel e Egito, a qual teve fim com o acordo de Camp David.

(PUCRIO)

A charge apresentada acima:
I −caracteriza os problemas de ordem étnico-territorial na Europa dos Bálcãs, que refletem as seculares disputas
numa região dominada pelos sérvios, no último século;
II −representa o conflito entre as identidades nacionais na Europa, reforçado pelo desmonte dos Estados socialistas no Leste europeu, na última década do século XX;
III −exemplifica a causa típica dos conflitos que assolaram os Bálcãs, principalmente após a Guerra Fria, quando
os sérvios espalhados por outros territórios da antiga Iugoslávia lutavam pela manutenção da sua hegemonia
na região.

Das afirmações acima, está(ão) correta(s):

a) apenas a I.
b) apenas a II.
c) apenas a III.
d) apenas a I e II.
e) todas.

(IBMEC)

 “(...) a intensidade do processo de globalização provoca graves efeitos desestabilizadores, criando um terreno fértil para a fragmentação social e territorial. Uma globalização que aprofunda as desigualdades sociais, nacionais e regionais e gera um fenômeno brutal de exclusão, tem produzido reações como o nacionalismo tribal, o separatismo e conflitos violentos, que estão marcando o fim do século. São os fatores ‘disfuncionais’, destrutivos e regressivos que constituem perigosos ‘efeitos colaterais’ da globalização da economia.”

 (Adaptado de VIZENTINI, Paulo Fagundes in http://educaterra.terra.com.br/vizentini)

Sobre o processo descrito no texto, é correto afirmar que:

a) mesmo com a integração em curso o continente europeu ainda vive manifestações separatistas, como ocorre na Bélgica, com a rivalidade entre Flandres e Valônia.
b) é possível associar o sentimento nacionalista aos integrantes do IRA (Exército Republicano Irlandês), o que impede qualquer acordo de paz com os britânicos.
c) as disputas regionais na Espanha foram definitivamente resolvidas pelos acordos assinados, durante o ano de 2007, por galegos, bascos e catalães.
d) na América, uma das mais importantes manifestações separatistas ocorre no Canadá, onde os moradores de Quebec buscam autonomia cultural ante o domínio francês.
e) mesmo com um governo de origem indígena, a Bolívia não consegue superar as disputas entre os nativos e os criollos, como atesta o movimento separatista andino.

(UFRR) “Ate o final da decada de 80, existiam na Africa treze conflitos regionais (Angola, Etiópia, Libéria,
Sudão, Chade, entre outros). Um ano depois, esse número diminuiu para seis diante dos altos custos
de sua manutenção. Com o relaxamento das tensões EUA―URSS (distensão), os países africanos
também deixaram de ser o desencalhe de armas convencionais dos dois países. Entre 1984 e 1987,
as despesas militares diminuíram de 5,2% do PNB acumulado dos países em conflito para cerca de
4,3%. O cenário que resulta é desolador. Destruição econômica e desestruturação social, com a
disseminacao da fome e da epidemia da AIDS.”

(OLIVA, J. e GIANSANTI, R. Espaço e modernidade: temas da geografia mundial. São Paulo: Atual, 1995).

Os conflitos existentes na África, juntamente com a fome e as epidemias, são elementos que constituem
o triste cenário deste continente. Entre as explicações para compreendermos a existência dessas intermináveis guerras regionais, podemos apontar que:

a) A atual disputa pelo potencial mercado de alimentos impulsiona as grandes potências africanas a investirem maciçamente na produção e venda de armamentos.
b) O continente africano exerce importante papel estratégico nas relações políticas e ideológicas entre os países que compõem os blocos econômicos mundiais.
c) Os conflitos ocorrem por conta do interesse de diversas tribos em constituírem um espaço comum africano para agregar as diversas comunidades em um mesmo grupo étnico-lingüístico-cultural.
d) As atuais fronteiras foram traçadas pelos colonizadores europeus sem respeitar a antiga
organização tribal e a distribuição geográfica das etnias no continente.
e) As comunidades étnicas optaram por entrar em conflitos armados estimulados pela inserção do
capitalismo neoliberal e, principalmente, por conta dos diversos produtos industrializados disponíveis nos mercados africanos.

(UFRR)

“Em pleno seculo XXI, as religioes continuam tendo grande influência no contexto social e cultural de diversos países e em amplas regiões do planeta. O poder da fé é de tal magnitude que é capaz de influir em aspectos políticos, sociais e econômicos de nações cujas autoridades, leis ou fronteiras são fortemente delimitadas por questões religiosas. Além disso, variados conflitos no mundo nos últimos tempos têm sua origem em divergências religiosas. (...) Jerusalém é a cidade sagrada de três grandes religiões (...). Os três credos têm em Jerusalém marcos básicos de sua doutrina e de sua historia.”

(In.: Atlas Geográfico Mundial ― para conhecer melhor o mundo em que vivemos ― vol.01
Mundo. Barcelona: Editorial Sol 90, 2005.)

O texto acima apresenta Jerusalém como a cidade sagrada de três religiões. São elas:

a) judaísmo, hinduísmo e islamismo
b) judaísmo, cristianismo e islamismo
c) judaísmo, budismo e islamismo
d) judaísmo, confucionismo e islamismo
e) judaísmo, xintoísmo e islamismo

(ESPM) Leia o texto:

... a existência de país supõe um território. Mas a existência de uma nação nem sempre é acompanhada da posse de um território e nem sempre supõe a existência de um Estado.
Pode-se falar, portanto, de territorialidade sem Estado, mas é praticamente impossível nos referirmos a um Estado sem território.

(Milton Santos, O Brasil, 2000)

Das palavras de Milton Santos, podemos deduzir:

a) Nação, Estado e território são categorias excludentes.
b) Não existe nação sem Estado.
c) A categoria território é imprescindível à existência de um Estado.
d) As fronteiras delimitam os territórios, mas não os Estados.
e) Um Estado é sempre composto por uma única nação.

(UECE Localizado no sudoeste do continente asiático, o Oriente Médio é um território limitado pelos
mares Negro, Mediterrâneo e Vermelho, pelo Golfo Pérsico e pelo Mar Arábico, no Oceano Índico. Em termos geopolíticos é considerado como um barril de pólvora devido ao complexo e explosivo clima político, fundamentado por princípios religiosos que orientam permanentes conflitos. Sobre o território em questão, assinale o INCORRETO.

a) Nele se concentra a maior riqueza do continente asiático. Localizados no Golfo Pérsico, os seus lençóis petrolíferos são considerados os maiores do globo terrestre.
b) A Faixa de Gaza e a Cisjordânia constituem as principais áreas de conflitos entre árabes e judeus, palcos de sangrentas manifestações travadas entre radicais islâmicos, bem como, de radicas israelitas
que não desejam a formação de um estado palestino.
c) O fundamentalismo islâmico, cujo ideário é a revogação dos costumes modernos e a aplicação da lei corânica à vida cotidiana, bem como, uma rejeição completa ao mundo moderno, galgaram o cenário político do Oriente Médio, a partir da Revolução Xiita iraniana, em 1979.
d) Com exceção do Líbano, onde a maioria da população segue o judaísmo, os demais países do Oriente Médio professam o islamismo como religião.


VESTIBULAR 2007

(UESB) Nas últimas décadas do século XX, ao mesmo tempo em que se intensificava o processo de globalização, ampliavam-se os conflitos étnico-nacionalistas, muitos deles relacionados a movimentos separatistas. A ampliação desses conflitos revela uma situação aparentemente contraditória, pois, ao mesmo tempo em que a reprodução da modernidade, em nível global, tende a homogeneizar hábitos por meio de consumo e da indústria cultural, e integrar mercados por meio das organizações supranacionais, diversos povos lutam por sua autonomia, fragmentando o mundo num número cada vez maior de países.

LUCCI, E. A; BRANCO, A. L; MENDONÇA, C. Geografia Geral e do Brasil – Ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2003, p. 229.

Sobre os conflitos mundiais, é correto afirmar:

(01) Os conflitos entre judeus e palestinos começaram a partir da Segunda Guerra Mundial, quando a ONU criou o Estado de Israel.
(02) Os conflitos armados promovidos pelo ETA se intensificaram com os atentados terroristas em Madri.
(03) O IRA abandonou a luta armada e destruiu todo o seu arsenal, mas mantém sua luta por meios políticos.
(04) A Chechênia obteve sua independência da Federação Russa, motivo pelo qual cessaram os conflitos na região.
(05) Os conflitos internos no continente africano são sempre motivados por rivalidades políticas e religiosas.

Resposta: 3

(UFAM) O sistema de castas, apesar de extinto por lei, ainda se mantém vivo na cultura do povo:

a) druso
b) chinês             
c) muçulmano
d) indiano           
e) turco

(UFRJ)


                                                                      “UMA REGIÃO QUENTE”

“ O Oriente Médio é uma região à qual a imprensa sempre se refere como uma área conturbada, espécie de barril de pólvora com o estopim aceso, prestes a explodir. Essa imagem explica-se em função de ser essa região do mundo o lugar onde talvez ocorram os conflitos mais intensos.”
                                              
Adaptado de Olic, Nelson B., Oriente Médio, São Paulo: Moderna. 1991.

Apresente três fatores que originam os conflitos entre países do Oriente Médio.

Resposta:

Entre os fatores geradores desses conflitos encontram-se: petróleo; território; água; religiões e facções religiosas.

(UFPEL A disputa que se trava no Oriente Médio entre Israel e Líbano e um confronto geopolítico que ha. mais de meio século perdura na definição das fronteiras entre os Estados envolvidos.  Em 28 de junho de 2006, o exercito israelense atacou a Faixa de Gaza e prendeu vários ministros da Autoridade Nacional Palestina na Cisjordânia, sob a alegação de resgatar um soldado seqüestrado por extremistas palestinos. Na verdade, o convívio entre israelenses e palestinos tem raízes históricas, em que pesam elementos definidores do espaço, tais como estado, nação, fronteiras e territórios.

Com base em seus conhecimentos e nas informações acima sobre Israel e os Territórios
Palestinos, é correto afirmar que

a) a independência de Israel permitiu que os judeus fossem retirados do território que ocupavam e formassem um estado na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, motivando protesto por parte dos árabes.
b) a ONU aprovou, em 1947, a divisão da Palestina, então administrada pelos britânicos, em um estado árabe e outro judeu, possibilitando a criação de Israel, em 1948.
c) os palestinos ficaram sem território e passaram a viver em acampamentos, apesar de receberem apoio político externo, sobretudo dos EUA.
d) a Organização para Libertação da Palestina (OLP) foi fundada, em 1964, com o objetivo de obter a soberania dos palestinos sobre a região, ainda que permanecessem sob o domínio de Israel.
e) a Autoridade Nacional Palestina (ANP) foi criada em 1993, pelo Acordo de Oslo. Alem disso, estava prevista a devolução dos territórios da Faixa de Gaza e da Cisjordânia para controle libanês.
f) I.R.

(UFG) Observe o mapa a seguir.


A intrincada dinâmica da política internacional, no início do século XXI, está ligada a questões étnicas, religiosas, nacionalistas e ao tráfico de drogas. Considerando os tipos de conflitos existentes e sua localização geográfica, visualizada no mapa,

a) identifique o principal conflito existente nas áreas A e B;
b) caracterize o principal conflito existente na área C.

Resposta:

a)

A – nacionalistas ou religiosos.
B – étnicos.

b) Um conflito, dos indicados abaixo, além de outros:

- Nacionalista ou narcotráfico

Uma das caracterizações, das indicadas abaixo, além de outras:

- Os movimentos guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e do Exército de Libertação Nacional (ELN) são de orientações marxistas e controlam quase metade do território colombiano e têm no narcotráfico a principal fonte de renda (coca e papoula).

- Os grupos paramilitares de extrema direita e de esquadrão da morte objetivam combater os grupos esquerdistas mediante o slogan adotado pela Autodefesa da Colômbia (AUC). Este grupo é financiado pelo narcotráfico.

(UNESP) A divisão territorial da ex-Iugoslávia originou seis novos países. Assinale a alternativa que contém o nome destes países e sua localização geográfica.

a) República Tcheca, Eslovênia, Macedônia, Croácia, Sérvia, Montenegro; Europa do Sul.
b) Albânia, Macedônia, Bósnia, Croácia, Sérvia, Montenegro; Europa Ocidental.
c) Romênia, Croácia, Eslovênia, Bósnia, Sérvia, Montenegro; Europa do Norte.
d) Bósnia, Macedônia, Croácia, Eslovênia, Sérvia, Montenegro; Europa Oriental.
e) Bulgária, Bósnia, Eslovênia, Macedônia, Sérvia, Montenegro; Europa Mediterrânea.

(PUCRS) Responder à questão considerando as relações entre as áreas apresentadas e os fatos correspondentes.


Existe correlação adequada entre a área e a respectiva característica em

a) I e II
b) I e IV
c) II e III
d) II e IV
e) I, III e IV

(ESPM) Após anos de violência, a Sérvia assistiu em dezembro de 2006 ao plebiscito na região para decidir sobre o futuro da soberania do sul. No momento, a região está sob intervenção da Otan. A Albânia, interessada direta na questão, acompanha de perto o pleito.
A região em questão é:

a) Bósnia Herzegóvina.
b) Montenegro.
c) Krajina.
d) Voivodina.
e) Kossovo.

(ESPM) Observe o texto que aborda a recente crise no Líbano:

Como ensina a Geografia Política, entregar território significa derrota política; ao vencedor, as terras (e não as batatas). Acossado internamente e assistindo a uma possível conexão xiita Irã-Hezbollah, via Síria, Israel tratou de agir.
(Carta Capital na Escola, setembro, 2006.)

Sobre o cenário geopolítico do Oriente Médio abordado pela matéria, podemos inferir que:
a) O grupo Hezbollah reivindica a devolução das Colinas de Golan ao Líbano, ocupadas por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, em 1973.
b) A conexão religiosa mencionada no texto, envolve o Irã, Líbano e a Síria, três países de maioria xiita.
c) O Hezbollah é produto da ocupação israelense no sul do Líbano em 1982 e atua na região com freqüentes ataques à Israel.
d) Ao lado do Hammas, o Hezbollah é um grupo palestino que tem sua base na Faixa de Gaza.
e) A partir da Cisjordânia, o Hezbollah faz incursões a Israel e reivindica a devolução dessa importante e fértil região.




























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário